domingo, 4 de dezembro de 2011

Todo mundo tem um medo

Do antigo blog (08/07/2009):

Não adianta fugir dos nossos temores, do que nos aflige. Simplesmente não adianta.
O medo não é desculpa pra não enfrentar uma situação.
Só se sabe o que teria acontecido em determinada situação quando ela acontece.
Tudo na vida é um risco, a própria é um risco; a diferença é que uns calculam os riscos que estão dispostos a correr, outros não.
André Comte-Sponville escreveu em seu Pequeno Tratado das Grandes Virtudes que “Coragem não é a ausência do medo, é a capacidade de superá-lo, quando ele existe, por uma vontade mais forte e mais generosa.”

Devemos enfrentar os nossos medos, antes que eles resolvam nos enfrentar e, eventualmente, nos peguem desprevinidos.

Ainda lembro quando resolvi enfrentar um dos meus maiores medos: Altura.
Estava num parque de diversões e resolvi ir num brinquedo chamado Discovery, ele deixa todo mundo de cabeça pra baixo girando há uns 20 metros de altura, prendendo-nos apenas pelos ferros da cadeira.
Esperei com os amigos durante uma hora na fila, e quando chegou a minha vez eu tremia, suava, pensei em desistir, mas como já estava lá...

Chegou a hora de enfrentar o meu medo e como o que não me mata me fortalece, lá fui eu: sentei na cadeira, o monitor baixou a primeira trava de segurança. Depois passa o monitor e diz: "Vai ser baixada a segunda trava de segurança, depois que essa for fechada, não dá mais pra desistir."
Fiquei calada mesmo com vontade de gritar "SOCORRO!"; eu estava disposta a enfrentar mesmo.
Ele fechou a segunda trava, e aí sim o desespero veio à tona: Eu chorava feito uma louca, as lágrimas caiam sem eu nem perceber. Uma, duas, três de uma vez.

Quando o brinquedo começou a girar gritei desde "Socorro! Eu vou desmaiar!" até "Eu quero a minha mãe!".
Ao final, com o rosto ensopado de suor e lágrimas, tremendo, ligeiramente sem sentir as pernas - e ainda com medo de altura -, percebi que havia valido a pena, valeu a experiência, a sensação de ter encarado.

Pra muitos um medo é um segredo, pra outros é uma verdade, pra outros, uma mentira; pra uns é algo que aconteceu, já para outros, algo que pode nunca acontecer.
A forma de enfrentar esses medos cabe a cada um decidir, mas uma coisa é certa: é preciso.

*Para fins de direitos autorais, declaro que imagens usadas no post foram retiradas da internet e os autores não foram identificados.

6 comentários:

Elisa Cunha disse...

Já li em algum lugar que histórias de terror são importantes na infância, pois estimulam-nas a enfrentar seus medos, basicamente isso.

Ora, eu cresci fugindo de filmes de terror, pois são incontáveis as noites que passo sem dormir por causa de um. E cresci sendo uma garota tímida, e acho que isso também vem de um certo medo de não ser compreendida pela outra pessoa, ou algo parecido.

Enfim, medos são importantes, senão qual seria a graça dos filmes de terror, da montanha russa, do nervosismo do primeiro beijo, e da primeira música cantada no palco? Acredito cada vez mais que a presença do ruim fortalece o bom. Então é enfrentar seus medos, e sentir o gostinho da coragem, haha

Beijos.

Aurelio disse...

Lay querida, se o medo vir, então é hora de enfreta-lo, de cara limpa e sem medo do medo. Se fugirmos agora, mais adiante ele voltará a nos atormentar e teremos de qualquer forma enfrenta-lo, pois então que seja já, agora, acabar com ele e viver sem ele.
Beijos minha querida!!!

Corujinha. disse...

Medo eu tenho alguns sim,mas em particular tenho medo de praticar qualquer esporte onde requer uma boa dose de equilibrio,não é nada de sério claro pois nem tento superá-lo,sou preguiçosa assumida em fato de praticar esportes...hehe(cara de vergonha Mode-On).!! Beijo
.
http://a-corujinha.blogspot.com/

Lari disse...

O medo é normal. Só não podemos deixar que ele nos domine. Porque aí não fazemos nada :l
Gema de ovo? Iá. Eu também achava, mas depois que vi as roupas lindas que andam fazendo, me surpreendi!
Beeijos <3

Ricky Oz disse...

Oi Lay!
Eu vi num filme uma vez uma frase que me marcou e que desde então eu a sigo: "Tenha medo, mas os enfrente". Eu tinha muito medo de aranha, quando pequeno, mas depois de um tempo descobri que ela só iria me picar se eu fizesse algo de mal pra ela, ela agiria assim como um mecanismo de defesa. Desde então tento não deixá-la viva depois da primeira chinelada, hahahahha...
Também tive problemas com o Q.I., mas graças a Deus hoje estou empregado, ainda não no que eu gostaria e nem ganhando quanto eu gostaria. Enfim, ainda não é a hora.
Talvez a Paty tenha problemas em mostrar quem ela realmente é e por isso se mostra tão fútil para os outros. Quem sabe a convivência pessoas tão diferentes dela não a ajude?
Bjuss

Mari disse...

Eu tenho medo de não conseguir alguma coisa que desejo. Esse é medo é perigoso, pois pode me fazer desistir. É uma luta diária.
Sempre com ótimos textos, hein! :)
Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...