sábado, 21 de julho de 2012

Vou casar

Sim, eu vou casar, aliás, eu  casei.
Antes de explicar como isso aconteceu, quero dizer que você também devia se casar, e não importa se já tem um marido ou uma esposa.
Bom, quando se fala em "casamento", no que você pensa?
Provavelmente pensa em comprometimento; pensa em amor, em respeito, em intimidade; certo?
Desde sempre - quase que inconscientemente - nos comprometemos a respeitar nossos pais, a não sabotar nossos amigos, a não abandonar nosso bicho de estimação, a ser fiel ao namorado. E assim, vamos "casando" com esses seres ao longo da vida.

"Eu (…) prometo ser-te fiel,
amar-te e respeitar-te,
na alegria e na tristeza,
na saúde e na doença,
todos os dias da nossa vida..."

Mas o casamento no qual eu entrei, e que eu proponho a você também, é o seguinte: Case-se consigo mesmo.
Comprometa-se a se amar - com suas qualidades e defeitos -, comprometa-se a respeitar os seus limites, a se aceitar e se achar sexy mesmo com aqueles quilos a mais ou aqueles fios de cabelo a menos. Comprometa-se a ficar do seu lado, estando em boa situação financeira ou não, estando com ótima saúde ou não; prometa pra si que não vai se abandonar, que será mais tolerante consigo, que irá melhorar seus pontos fracos para poder ser mais feliz. Prometa que irá acordar com um sorriso mesmo quando for uma segunda-feira cinzenta e a sua cara estiver toda amassada; prometa rir de si mesmo quando você estiver se achando chato. Jure que será fiel aos seus valores, que não irá se boicotar, que irá se estimular a ir além. Permita-se tentar compreender suas limitações e a sentir TUDO de bom e de ruim que suas atitudes podem proporcionar e APRENDA com isso.

Você quer alguém que te prometa amor, respeito, consideração? EU TAMBÉM! Mas primeiro temos que ter isso por nós mesmos.
Você quer um namorado que te ame, te proteja, te respeite; mas você não se ama, não se protege e se sabota. Entende a contradição?
Ao ser egoísta a pessoa nem ama a si mesmo nem ama as outras pessoas. Porém, ao ter amor próprio, você se ama de tal forma que entende que se você não é perfeito (mas ainda assim merece amor) por que as outras pessoas precisam ser "perfeitas" para serem merecedoras da felicidade? Você entende que você merece ser respeitado por suas dificuldades e defeitos; e terceiros também.
Você entende que você pode E DEVE melhorar seus pontos fracos; e por que as outras pessoas não teriam uma segunda chance?

Case-se consigo, e viva em paz pelo resto da sua vida.

PS: Queridos rapazes, que por ventura ficaram tristes com o título do post, eu AINDA estou solteira. ;D

*Para fins de direitos autorais, declaro que imagens usadas no post foram retiradas da internet e os autores não foram identificados.

7 comentários:

Ricky Oz disse...

Interessante ponto de vista. Isso é algo que todos devemos ter, amor próprio. Para haver casamento e compromisso com outra pessoa é preciso haver consigo mesmo antes. Concordo plenamente com o que voce disse.

Bjuss

Gisele Alves disse...

Ja que o blogger "dumal" apagou meu comentário lindo e filosófico, vou comentar de novo!
Adorei teu texto, você escreve sempre muito bem!Concordo contigo e acho que esse casamento vem com o tempo sabe?Porque e muito mais fácil a autocrítica do que a aceitação de si e seus defeitos.Mas vale a pena o aprendizado, pode demorar um pouco mas e mega valido.

Joicy Sorcière disse...

Showwwwwwwwww, Layzinha! Adorei...

É o que eu sempre digo... vc pode ser seu maior aliado, ou então seu pior inimigo. Eu resolvi ser minha aliada mais forte.

Postagem deliciosa e com aquela dose de bom humor que vc sabe ter sempre...

bjks :) JoicySorciere => CLIQUE => Blog Umas e outras...

Lu disse...

Bela dica de 'como se casar' eu adorei e acabei descobrindo que estou casada comigo mesma a muito tempo, não só comigo, mas com as coisas que amo fazer e com as coisas que possuo. bjs

Luciana Souza disse...

Oi Lay
Eu conheci seu blog através da nossa amiga em comum Joicy, gostei muito e já estou te seguindo. Se todos que estivessem dispostos a casar pensassem assim como vc, existiriam menos divórcios por aí. Muito bom o texto. Adorei!
Bjão. Fique com Deus.

Jaime Guimarães disse...

Oi, Lay!

Vim conhecer o seu blogue e é realmente muito bom. Se é indicação da Denise, então não poderia ser diferente. E tô vendo que a Joicy também deu uma passada por aqui e tem o Christian V.Louis ali entre os seguidores. Ótimas referências! :)

E eu adorei o seu texto. Não apenas por ser muito bem escrito, mas também pelo fato de eu me identificar nele. Posso dizer que estou em "noivado" comigo mesmo...e eu sei o quanto sou difícil, principalmente às segundas-feiras cinzentas ou ensolaradas ( salvo feriados); mas nos entendemos muito bem, pois meus valores e o sorriso sempre foram "almas gêmeas", digamos.

Acho que por aqui vai dar casamento, sim. Só alguns detalhes ainda, mas os trâmites vão bem.

Em suma, aquela história de condicionar "amor e felicidade" necessariamente a estar com alguém ( uma namorada, uma esposa, uma amante, etc) é o caminho mais fácil para a infelicidade se não entendermos o que é ser humano.

Um abraço!

Mariana disse...

Lay, simplesmente, um dos seus melhores textos. Disse tudo. Só me resta assinar embaixo.
Beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...